9 de jul de 2009

Marco da Reencarnação






(Espírito de Miramez)

A reencarnação na Terra tem limites,
desde que o Espírito chegue a uma condição
de não mais precisar vestir a roupagem da carne;
no entanto, considerando que a reencarnação
se constitui em mudanças, e olhando para a vida eterna
plena de transformações, ela se nos apresenta sem limites,
porque as mudanças são permanentes.

Tudo reassume novos corpos
na pauta da vida contínua;
pode-se dizer, não encontrando outra expressão,
que a vida se compõe de um seqüente movimento.

Em todo lugar onde estagiamos, buscando experiências,
existe a oportunidade extrema, nos mostrando
o ponto final que podemos suportar naquele mundo;
entretanto, não são extremos permanentes e, sim,
limites do mundo em que estamos e que nós suportamos.

A evolução não tem barreiras;
as mudanças são eternas
em todas as escalas da vida.

Crescemos sempre, é o que podemos dizer.
No ponto em que a humanidade se encontra
na Terra, como mundo de expiações e provas,
prestes a sair deste estágio, precisamos trabalhar
dentro de nós, em preparo para alcançar
um mundo de regeneração.

Assim se processa a subida cada vez melhor,
até a depuração espiritual que a vida
pode nos oferecer..
E a Doutrina Espírita nos fala desta verdade,
notícia que muito nos agrada, por já sentirmos
o ambiente da felicidade; e para tanto,
trabalhamos no ambiente do amor.

Os benfeitores espirituais que orientam a humanidade,
sob a égide de Jesus, têm uma grande tolerância,
por saberem que o Espírito revestido de carne
recebe muita influência do magnetismo inferior,
mas, mesmo assim, deve lutar, porque é no esforço
de cada dia que poderá alcançar a liberdade,
dominando as paixões.

Nada tem limites, a não ser nos estágios,
mas para adentrar em outra seqüência de
aperfeiçoamento; assim é a vida, cheia de alegria,
amor e caridade.
O perispírito pode chegar à certa elevação
de se confundir com o Espírito sujeito
à reencarnação na Terra; e o próprio corpo,
em mundos superiores, também se confundir
com o perispírito nos mundos inferiores.

Entreguemo-nos, encarnados e desencarnados,
à perfeição moral, juntamente com a sabedoria divina,
no sentido de atingirmos um grau elevado
do Espírito imortal, doando amor e espargindo luzes
em todas as direções.
Essa é a vida naquele ambiente de felicidade
imperturbável.

O Espiritismo nos concita ao trabalho
na nossa intimidade, sempre na exemplificação
das virtudes de ouro que o Evangelho de Jesus,
na amplitude do amor, nos oferta como caminho,
verdade e vida, considerando o amor como ponto
de partida, que é igualmente o ponto de chegada,
por se mostrar em todos os estágios das dimensões.

O amor é o hálito de Deus e o clima onde o Cristo vive.
Estamos vivendo a aproximação do fim dos tempos,
onde dominam expiações e provas, na busca de outro mundo
para a nossa regeneração.

A humanidade caminha sob a aflição da dor, contudo,
recebe permanentemente lições valiosas,
envolvidas com a verdade que podemos entender
como a libertação.

O mundo atual vivem em torno de dois monstros
que devoram todas as esperanças, que se chamam
orgulho e egoísmo, que devem ser expulsos
das nossas vidas.
Basta analisarmos com ponderação, que encontraremos
essas duas feras devorando nossas alegrias.

Lutemos para vencer essa guerra,
que entraremos na era da felicidade,
sentindo o Senhor irradiando nas nossas consciências,
em completa integração com Jesus,
que domina nossos destinos.

Entendemos que nada tem limites;
tudo se transforma, mas sempre para melhor,
sendo Deus a fonte das nossas vidas,
em quem devemos confiar e a quem devemos
servir com humildade e amor.


espirito de Miramez/João Nunes Maia
de Máximas de Luz

Nenhum comentário: