24 de jul de 2009

A Lição do Mestre



Quando sua figura imponente apareceu,
uma emoção dulcíssima percorreu a multidão atenciosa.

Os olhos tranquilos derramando claridade de luar
e a postura nobre, aureolada de suave luz,
compunham o conjunto harmônico que lhe dava
a transcendência superior.

Abrindo a boca em resposta
às mudas interrogações da massa,
Ele elucidou:

“Não sois o que suportais.
O vosso fardo de ansiedades e de dores
não significa a vossa realidade.
Na impermanência de todas as coisas
e acontecimentos, sois vida da Vida
e realidade da Realidade.

“Nas passageiras demonstrações
das ocorrências dolorosas, avançai
na busca de vós próprios.
O vento dos fenômenos sacode-vos,
porém, causas que sois deles todos,
basta-vos alterar o rumo dos passos
e se modificarão as vossas expressões.

Olhai em derredor e constatareis
que passais pelas águas do rio do tempo, e,
enquanto ele permanece o mesmo no seu curso,
diferente se vos apresenta o peregrinar.

“Dizei: eu não sou isto, estes amargos efeitos,
e erguei-vos para reencetar a marcha.

“Quem deseja alcançar o Meio-Dia,
viaja com o Sol do amanhecer e segue além.”

Silenciando por um momento, a fim de que o povo
lhe assimilasse a lição, ante a brisa branda
que ciciava no arvoredo, Ele voltou a falar:

“Viajai para dentro do ser e examinai
com as lentes da meditação os vossos sentimentos.
Renascestes para o triunfo que vos aguarda.
Não estanqueis o passo, demorando-vos
no pódio das vitórias ilusórias.

“Vencedor é aquele que supera as más inclinações
e doma as cruéis paixões.

“Tudo vos chama para o mundo de enganos ledos.
Buscai Deus, a certeza única de todas as certezas.

“Quando vos tornardes cinzas
remanescentes do corpo, então evolareis
em espírito e recuperareis a vossa plenitude
que ireis instalando desde já no imo.

“Vós sois luz, oculta em vasilhame grosseiro
que necessita de purificação.
Reflexionai, buscando o vosso fanal,
e afirma desde agora:
Eu sou vitória, eu sou saúde, eu sou paz.”

Ao silenciar, pairava sobre todos os ouvintes
uma doce esperança de felicidade.

pelo espirito de Eros/Divaldo P Franco
do Livro Paz Íntima

Nenhum comentário: