3 de jun de 2009

Tuas Plantas



Em tua casa devem existir plantas.
Elas são benfeitoras que sempre operam em silêncio,
ajudando na sustentaçãO da vida.
Sejam elas quais forem, são como um laboratório
que transforma, dando-nos durante o dia o oxigênio puro,
capaz de nos alegrar quando respirado, mantendo o ritmo
orgânico e conduzindo a energia divina
para o sistema mais apurado do mundo,
onde nascem as idéias.

Cuida bem de tuas plantas. pois elas são
a manifestação de vida, reconhecendo e devolvendo
o amor que recebem da afetuosidade humana.
Ainda mais, se observadas com entendimento,
as árvores nos ensinam sem palavras como manter
a Economia em casa: não absorvem nada sem necessidade
e não são dados ao desperdício; as doenças que sofrem,
quando sofrem, são devidas ao gás carbônico que tiram
da atmosfera durante o dia, imantado de
magnetismo humano inferior, que transformam
em bênçãos para o próprio homem.

Que dizes disso?
É o perdão de nossas ofensas, pois as maltratamos
e elas nos doam saúde e vida por todos os meios
de que o Senhor as dotou.

As plantas não exigem nada de nós;
apenas vivem com um pouco de água -
que por vezes teríamos de jogar fora
- e não descansam um só segundo que seja,
em operação constante para o bem da coletividade.

Mesmo depois de mortas elas continuam
a beneficiar o humanidade, como remédio
e como utensílios.
Todos os lares usam dela para o bem-estar
dos que ocupam a casa. O reino vegetal é divino,
onde as bênçãos do Senhor são sempre
renovadas para ajudar a humanidade.

Se o nosso tema é Economia, entremos
na escola das plantas com os sentimentos
já despertados em nós, copiando-lhes o exemplo,
que nada nos faltará.

Sejamos felizes com a felicidade da natureza,
comungando com a harmonia da vida, e aprendamos
com o Evangelho a respeitar tudo o que nos cerca.

A tua felicidade depende do respeito às leis de Deus;
enquanto falhar em teus sentimentos a compreensão,
sofrerás as conseqüências de teus desacertos.

Meu filho!... Mesmo ganhando pouco,
pelas lutas que tens de enfrentar,
se compreenderes as leis do uso,
nada vai faltar, O cumprimento do dever faz
multiplicar todos os valores que se aproximam
de tua casa e de ti.
É necessário que entendas que a Economia cristã
não é miserabilidade nem egoísmo;
é somente gastar o de que precisas,
sem o desperdício tão comum nesta época.

Quem amontoa demais, acaba sufocado
nos seus pertences e os esbanjadores estão
plantando faltas que o futuro mostrará,
O pecúlio no lar, na ordem divina do termo,
é alegria para a consciência e paz para o coração.

Um lar não pode deixar de entender esta verdade,
porque Deus não é Deus dos extremos;
Ele está no centro de tudo, para que nasça
o sol da brandura e da fraternidade
em todos os corações.

A Economia é um dever, não somente do homem,
mas de toda a criação; ela é equilíbrio da vida
que se manifesta em muitas dimensões.

Vejamos um sinal dos mais visíveis em uma casa:
se comeres demais, o corpo adoecerá;
se deixares faltar o necessário, ele igualmente
se enfermará.
Quando falamos de poupança,
falamos no ponto de equilíbrio de todas as funções
orgânicas e sociais, políticas e religiosas e de
vida espiritual.
Podes receber lições dentro de tua casa,
através de tuas plantas.

pelo espirito de Ayrtes
João Nunes Maia
do Livro Tua Casa

Nenhum comentário: