20 de set de 2009

Faze Luz


Emmanuel


Quando te confias à maledicência,
despedes da própria alma raios de treva
e pertubação que, de retorno, te impõem dolorosa
e indefinível tortura íntima
a exprimir-se em obscuros processos de enfermidade.

Quando te entregas às sugestões da calúnia,
exteriorizas da própria mente forças destrutivas
que, de volta, te empelem à comunhão
com as inteligências perversas que a veiculam,
adquirindo invisíveis passaportes para os abismos
da obsessão e do crime, da loucura e da morte.

Quando desces à crítica venenosa, na preocupação
de ensombrar o caminho dos que te cercam,
expulsas do próprio espírito dardos intangíveis
e penetrantes de sofrimento e desânimo que, de regresso,
te imobilizam os passos na noite da dificuldade
e do desalento, de vez que, procurando salientar
as deficiências e chagas alheias,
não fazes mais que levantar a antipatia gratuita
dos outros contra a segurança
e a paz de teu próprio caminho...

Lembra-te de Jesus, cuja Infinita Misericórdia
nos acompanha em todos os passos e auxilia sempre.

Recorda quantas vezes foram teus erros apagados
pela Bondade Divina e não olvides
o culto incessante que todos devemos à Humana Bondade.

Faze luz no próprio roteiro para que a luz nos encontre.

Suportemos as faltas do próximo como desejamos
sejam as nossa entendidas e toleradas.

E, desculpando infinitamente, alcançaremos em nossa marcha,
o Sol do Infinito Amor, cujos Raios Celestes
nos asseguram todas as bênçãos da vida
e que somente aguarda a nossa compreensão
e a nossa boa vontade para investir-nos
na posse dos sublimes tesouros da Glória Excelsa.


Emmanuel/Chico Xavier
do Livro A Verdade Responde

Nenhum comentário: