13 de set de 2009

A Chave Bendita



Emmanuel

Efetivamente, muitos são os problemas
que nos assediam a existência.
Dificuldades que não se esperam,
tribulações que nos espancam mentalmente,
sofrimentos que se instalam conosco,
sem que lhes possamos calcular a duração,
desajustes que valem por dolorosos constrangimentos.

Se aspiras a obter solução adequada
às provas que te firam, não te guies
pela rota do desespero.

Tens contigo uma chave bendita
- a chave da humildade,
cunhada no metal puro da paciência.

Perante quaisquer tropeços da estrada,
usa semelhante talento do espírito
e alcançarás para logo a equação de harmonia
e segurança a que pretendes chegar.

Nada perderás, deixando que fale alguém
com mais autoridade do que aquela de
que porventura disponhas;
nunca te diminuirás por desistir
de uma contenda desnecessária;
em coisa alguma te prejudicarás
abraçando o silêncio diante de conceitos deprimentes
que te sejam desfechados;
não sofrerás prejuízo algum em te calando nessa
ou naquela questão que diga respeito exclusivamente
às tuas conveniências e interesses pessoais;
grandes lucros no campo íntimo te advirão da serenidade
ou da complacência com que aceites
desprestígio ou preterição;
jamais te arrependerás de abençoar
ao invés de reclamar, ainda mesmo em ocorrências
que te amarguem as horas;
e a simpatia vibrará sempre em teu favor,
toda vez que cedas de ti mesmo,
em benefício dos outros.

Efetuemos os investimentos valiosos de paz
e felicidade, suscetíveis de serem capitalizados
por nós, através dos pequeninos gestos de tolerância
e bondade e o esquema de trabalho,
a que a vida nos indique, ganhará absoluta
eficiência de execução.

Seja na vida particular ou portas adentro de casa,
no grupo de serviço a que te vinculas ou na grande
esfera social em que se te decorre a existência,
sempre que te vejas à beira de ressentimento
ou revide, rebeldia ou desânimo,
nunca te entregues a semelhantes agentes destrutivos.

Tenta a humildade.

Emmanuel/Chico Xavier
Do livro: Mais Perto

Nenhum comentário: