9 de abr de 2009

Amor A Vida



-Adenáuer Novaes-

Amar a vida é sentir-se ligado ao divino,
ao espiritual, ao transcendente.
A vida é uma melodia de amor que ecoa por toda parte.

Ame a vida, pois é nela que você existe.
O amor de Deus não nos permite ausentar-nos dela.
Não se tem mais de uma Vida. Ela é única e eterna.
Valorize-a por você e por Deus.

Viver é uma arte.
É uma construção estética do espírito.
Viver em paz consigo mesmo é viver bem com o outro.
Todos somos convidados a viver com o outro e,
nesse convívio, aprendemos a viver bem conosco.
O outro é sempre um espelho positivo onde
enxergamos o negativo que existe dentro de nós mesmos.

Se você acha que sua vida não tem sentido
por não ter um amor, lembre-se de que o sentido
dela é dado por você e só a você compete a escolha
de ser feliz com o amor que lhe compete doar.

Não se entregue ao passado como se ele fosse
seu presente ou seu futuro. O amor é sua constituição
e não se encontra presentificado no outro.

Quando o amor comanda a vida, ela se faz plena
de realizações nobres, não se deixando contaminar
pelo pessimismo e derrotismo característicos
daqueles que abandonaram o caminho do Bem.

Há momentos sublimes na vida que marcam
para sempre a pessoa. Tais momentos alcançam
o ser humano nas vibrações do amor.

Quando isso ocorre, há o enriquecimento
daquele que o experimenta.

Jamais esquecemos aquilo em que colocamos a energia do amor.
A carga afetiva que adicionamos aos fatos da vida
nos acompanhará para sempre na intensidade que determinarmos.

A filosofia verdadeira é a do amor à vida.
É a que estabelece como bandeira
a realização do amor na Terra.

A vida na Terra é um ato do amor de Deus.
É uma oportunidade de refazer-se na longa
caminhada pela perfeição.
É poder sentir-se uno com a Criação Divina.
Ao admirar a Natureza percebe-se o quanto ela
é bela e grandiosa. Suas mínimas particularidades
revelam a Grandeza de seu Autor.
Nada foi esquecido ou desprezado.
Tudo se encontra em desenvolvimento e evolução.

Amar é abrir uma janela para a vida.
É despertar do sono letárgico em que se vive.
É sair do casulo das paixões inferiores
e entregar-se ao divino.
É perceber-se Um com Deus e com o outro.
O amor é a essência do universo.
Sua constituição íntima é o amor.

No amor está a síntese da vida.
Ela só tem sentido quando formos capazes
de perceber o amor. Em tudo observamos a presença do amor.
Ele se manifesta como energia mantenedora da vida.

A vida dedicada ao amor é a vida plena.
A vida entregue ao amor é a vida completa.
Não se entregue a outra coisa na qual
não possa perceber o amor pleno.

Se sua vida foi dedicada ao amor,
tenha certeza de ter cumprido sua tarefa na Terra.
Quando outras vidas se juntam à nossa,
é sinal de que o amor deverá estar presente
como condição básica de ligação para
o crescimento de todos.

Ninguém está presente em sua vida por acaso.
Cada pessoa é oportunidade de amar e crescer.
O outro em nossa vida é a ligação
com o que está oculto em nós.
É fator de crescimento pessoal.
Facilita o contato com nossa essência
oculta, desconhecida e misteriosa.

A vida, qualquer que seja o desafio
em que nos encontremos, é abençoado presente de Deus
cujo uso é de nossa responsabilidade.
O amor nasceu com a vida e, na Terra,
ganhou maturidade com o Cristo.

O amor provoca a revigoração da vida.
É o alimento que a nutre. É o oxigênio da Criação.
A vida é obra do amor e nele se estrutura.
Gostar de viver é nutrir-se do amor para
seu próprio crescimento.

Percebe-se se verdadeiramente amamos na vida
quando a ela devolvemos tudo que nos deu
e mais aquilo que de nós mesmos oferecemos.

Quem ama explode em viver.
Vive em alegria e alegra-se em existir.
Transborda em compreensão, em afeto,
em autopercepção e heteropercepção.

Viver não significa ser conhecido
ou ter notoriedade entre os homens.
Muitos alcançam o estrelato
sem terem crescido verdadeiramente.

A verdadeira vitória é a que encetamos
contra nossas más inclinações.
É considerado vitorioso quem vence a si mesmo.
Jesus deu sua vida em favor e por amor à Vida.


Adenáuer Novaes
do Livro Amor Sempre

Nenhum comentário: