7 de set de 2009

Teus Amigos



Caros companheiros, é de justiça
que nos lembremos não somente de nosso lar,
mas também de nossos amigos.
A amizade foi lembrada por Pedro,
apóstolo, quando nos disse:

"Granjeai amigos".
Não somente conservar os que temos,
mas granjear mais companheiros da nossa sintonia
para que possamos viver em conjunto,
na felicidade que Deus possa nos dar.

A amizade lembra na profundidade do termo
o Afeto - que é a palavra chave da nossa conversa.
Se tivermos afeição àqueles que nos afeiçoam,
nada fazemos de bom, senão a lealdade ao dever
de dar a quem nos oferta.

O Evangelho nos pede para amar a quem nos ofende
e ainda acrescenta: ora por eles!
Não é que devamos de uma só vez procurar
os inimigos pessoalmente e convertê-los em amigos;
o exagero estraga as melhores intenções.

No entanto, nas oportunidades que sempre surgem,
devemos aproveitar e fazer o que pudermos por eles
- e, se no silêncio, melhor.

Se nada se perde na natureza, o amor é que iria se perder?
Ama, que a própria vida se encarregará de levar
o teu amor àqueles que não gostam de ti.

Se a inimizade se instalou, podes desfazê-la
com processos inversos e esse é que deve ser
o nosso trabalho com Jesus.

A simpatia nasce do esforço no bem,
na caridade sem ostentação, no amor
sem barganha.

Teus amigos são a tua vida e quanto mais
crescerem em número, mais conforto terá
o teu coração.
Onde existe harmonia, medra a felicidade
na expressão do amor.

Estamos com teu amor, pedindo-te com emoção
que sejas afável para com as criaturas,
multiplicando teus valores dia a dia,
para que o teu coração se torne um sol
de amizade por onde quer que fores,
dando - mas dando sem pensar em receber.

Entrega o de que precisas para a lei,
que ela é sempre justa.
Já pensaste algum dia no ambiente terno
quando encontras um amigo, daqueles em que
a confiança é o ambiente onde depositas a tua fé?

É, pois, saudável, esse encontro.
E se multiplicarmos teus amigos?
E se todas as pessoas que te cercam forem
teus companheiros em Cristo? E se teu coração
amar toda a humanidade?

Eis porque a Vida Maior nos concita á caridade
pelos caminhos do amor. Não existe outro roteiro
para o Reino de Deus.
Como é afável a simpatia de uns para com os outros,
como é gostosa a alegria pura que se fecunda
de coração para coração!
É o que Cristo deseja de nós, e João nos avisa
com a simplicidade que lhe é peculiar: "Deus é amor".

O culto do Evangelho no lar, que sempre incentivamos
a realizares em tua casa, faz com que esse amor cresça
nos corações e a felicidade seja visível em tua família;
mas começa tudo isso pelos primeiros passos da
amizade.
Ela é o fio que pode interligar todas as pessoas,
para que outras virtudes apareçam pela força do próprio amor.
O lar é uma escola, já foi dito muitas vezes e tornaremos
a falar quantas vezes forem necessárias, para que possas
guardar esta verdade ao abrigo de teus sentimentos.
E teu Afeto à humanidade começa entre as quatro paredes
de teu lar, com teu companheiro e teus filhos,
com teus parentes e amigos, para depois atingir à comunidade,
que é a meta da célula familiar.


pelo espírito de Ayrtes
psicografia João Nunes Maia
do Livro Tua Casa

Nenhum comentário: